Grad – Diretrizes Gerais para Elaboração do Projeto de Formatura – Eng Eletrica

Diretrizes para Elaboração do Projeto de Formatura – (TCC)

Curso de Engenharia Eletrica

 I . Da Finalidade

I.1. I.1. O trabalho de formatura tem como objetivo principal promover uma síntese e integração dos conhecimentos adquiridos ao longo do curso de engenharia elétrica, sendo parte integrante e destacada do projeto pedagógico do curso. O emprego de conhecimentos adquiridos ao longo do Curso de Engenharia Elétrica é item primordial e deve ser evidenciado. Essa evidência deve-se dar em todos os âmbitos do trabalho de formatura, ou seja, na escolha do tema, na sua formulação, nas proposições feitas e análise dos resultados e aspectos conclusivos sobre o tema (problema) abordado. O tema do trabalho de formatura, necessariamente, deve estar relacionado a áreas da Engenharia Elétrica;

I.2. Estimula-se a integração temática entre a ênfase cursada pelo aluno, o trabalho de formatura, o trabalho de iniciação científica e o estágio supervisionado;

I.3 Estimula-se a proposição de grupos e de projetos comuns, mas que evidenciem a participação individual de cada aluno. O direcionamento, participação, desenvolvimento, contribuição e avaliação individual para o projeto de cada aluno ficarão sob acompanhamento e responsabilidade direta do orientador principal (professor nomeado como responsável dentre os demais, caso existam outros envolvidos no projeto). Os trabalhos de formatura em grupo, além dos já colocados, tem a finalidade de desenvolver em seus participantes habilidades que em trabalhos individuais não são possíveis de aprimoramento ou não são possíveis de evidência. Dentre essas habilidades destacam-se o gerenciamento de projetos, a divisão e cumprimento de tarefas, a participação coletiva, e outras que do engenheiro egresso são desejáveis pelo mercado de trabalho onde esse estará inserido.

II . Do número de Créditos e Matrícula

II.1. Ao trabalho de formatura serão atribuídos 6 créditos, correspondendo a 180 horas;

II.2. O trabalho de formatura será formalizado por intermédio de matrícula em duas disciplinas semestrais e subsequentes. A primeira matrícula (3 créditos, 90 horas) deverá ocorrer preferencialmente a partir do oitavo período, mediante a apresentação de um plano de trabalho com cronograma e ciência do professor responsável que acompanhará o seu desenvolvimento. O cronograma a ser apresentado deve firmar a conclusão do trabalho de formatura no prazo máximo do final do curso. Mediante a aprovação na primeira disciplina, cuja situação será apontada pelo professor responsável através de nota igual ou superior a 5,0 (cinco, zero), a segunda matrícula (3 créditos, 90 horas) deverá ocorrer preferencialmente no período letivo seguinte à primeira. Espera-se que o trabalho de formatura seja realizado pelo aluno no período estipulado e que o mesmo se encerre no ano de sua formatura, momento no qual se dará a defesa pública do mesmo. As duas disciplinas mencionadas receberão o mesmo tratamento e estarão sujeitas às mesmas regras das demais disciplinas obrigatórias do curso;

II.3. O número de horas semanais reservadas ao trabalho de formatura deve ser compatível com a carga horária de disciplinas obrigatórias e optativas em curso e deverá ser estipulado e acompanhado pelo professor responsável.

 III . Da Realização

 III.1. O trabalho de formatura deve evidenciar a capacidade do aluno em tratar problemas de engenharia. Assim, quando da sua realização, serão importantes e devem ser evidenciados os seguintes pontos: (a) Apresentação do problema central do trabalho de formatura; (b) Formulação no formato de um problema de engenharia; (c) Definição de escopo; (d) Revisão de literatura; (e) Desenvolvimento metodológico (inclusive com a parte experimental quando pertinente); (f) Conclusão e (g) Especificação do material bibliográfico consultado. Nos trabalhos de formatura em grupo deve-se ainda deixar evidente a maneira pela qual cada um dos integrantes deveria contribuir e como efetivamente contribuiu para o projeto. Essa evidência é indispensável, visto que a defesa do projeto desenvolvido em grupo será comum, com arguição individual a cada componente do mesmo;

III.2. No caso que configure integração temática entre ênfase, trabalho de iniciação científica, trabalho de formatura e estágio supervisionado, as atividades experimentais realizadas poderão ser aproveitadas para compor o trabalho de formatura. Contudo, ressalta-se a necessidade da incorporação no trabalho escrito dos documentos que permitam esse uso, principalmente no que se refere a resultados obtidos em estágios profissionalizantes. Esse requisito se faz necessário para que a propriedade intelectual das partes envolvidas não seja violada;

III.3. Em termos da proposição de grupos e de projetos comuns, por disponibilidade e interesse dos professores, a CoC-EE divulgará os projetos e linhas de pesquisas sujeitas a trabalhar com projetos de formatura propiciando uma maior interação entre eles. Tais projetos e linhas serão divulgados com periodicidade a ser estipulada pela CoC-EE. Será dada abertura por parte da CoC-EE para a inclusão de projetos e linhas que sejam de interesse e propostos pelos alunos envolvidos mediante a ciência e aceitação de um professor, ou professores, que se sujeitem a acompanhar e a orientar o projeto em específico.

IV . Da Documentação

IV.1. Para a matrícula no primeiro semestre da disciplina, deverá ser apresentado um plano de trabalho (atividades) assinado pelo aluno e pelo orientador, contendo título, resumo, objetivos, carga semanal de trabalho, cronograma de atividades (máximo de três páginas) e fonte de recursos (quando necessários), distribuídos para dois semestres consecutivos.

IV.1.1. O plano de trabalho poderá fazer parte de um projeto de dimensões maiores (projeto em grupo), com a participação de mais de um aluno. Neste caso, poderá ser redigido um único plano com especificação da atividade de cada aluno participante. O dimensionamento do número de estudantes a compor um projeto de formatura em grupo deverá ser justificado mediante a formulação do problema a ser abordado;

IV.1.2. O plano de trabalho será analisado e deverá ter concordância do professor responsável pela orientação, observando a sua viabilidade técnico-científica e a infraestrutura disponível junto às dependências da Escola de Engenharia de São Carlos;

IV.1.3. O aluno poderá utilizar o seu projeto de pesquisa de iniciação científica, financiada por órgão de fomento como FAPESP e CNPq, para o trabalho de formatura, devendo preencher as formalidades exigidas.

VI . Da Infra Estrutura e Orientação

VI.1. Ao Departamento do professor orientador caberá disponibilizar infraestrutura necessária para a viabilização dos projetos e organizar a utilização dos laboratórios eventualmente necessários;

VI.2. A CoC-EE divulgará periodicamente lista de docentes com disponibilidade para orientação, área de atuação e temas de projetos de interesse;

VI.3. Caberá ainda à CoC-EE a organização de evento para apresentação dos projetos de desenvolvimento coletivo com o intuito de expor, a todos os interessados, as metas a serem alcançadas em cada um dos projetos.

VI . Da Redação, Apresentação e Avaliação

VI.1. AA monografia final deverá ser redigida segundo norma do documento “diretrizes_eesc_v2010.pdf” disponível na Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos da USP.

VI.2. O trabalho de formatura será apresentado e defendido pelo aluno em sessão pública. (OBS.: no caso do trabalho de formatura ser caracterizado por um projeto único, envolvendo mais de um aluno, todos os alunos envolvidos neste estarão sujeitos a um único documento escrito e a uma única defesa pública. A defesa pública, nesse caso, será caracterizada por uma apresentação geral, seguindo-se de uma fase com arguição individual a cada aluno sobre o projeto executado);

VI.3. A avaliação será feita por banca examinadora composta por dois membros alheios ao projeto, somando-se a estes o orientador principal do trabalho. O orientador principal do trabalho fará parte da comissão julgadora, cabendo ao mesmo à atribuição de notas, de peso igual dos demais membros, bem como a condução dos trabalhos da defesa pública;

VI.4.Os participantes da banca examinadora deverão possuir pelo menos o título de mestre e, ao menos um deles deve atuar em linhas de trabalho/pesquisa da área de Engenharia Elétrica;

VI.5. A CoC-EE elaborará calendário de apresentação e julgamento dos trabalhos de formatura, reunindo todos em datas próximas, sempre que possível, ao final de cada semestre letivo, estimulando exibição especial dos resultados para a comunidade. Caso seja do desejo e interesse do aluno e seu orientador, porém, poderá ser apresentada a qualquer momento do semestre letivo proposta do professor orientador com sugestão de data e banca para a defesa pública. Nesse caso, a mesma poderá ocorrer na data sugerida uma vez que haja condições para apresentação da monografia e defesa pública. Caso contrário, prevalecerá o calendário estipulado pela CoC-EE;

VI.6. Uma vez aprovada, a versão final da monografia deverá ser entregue em formato digital, juntamente com a documentação especificada no arquivo mencionado em VI.1, à secretaria, que providenciará o seu respectivo cadastramento na Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos da USP – em consonância com as normas da EESC. A aprovação final do aluno está condicionada à entrega dos documentos mencionados neste item em prazo máximo de uma semana após a apresentação do trabalho à banca.

VII . Casos Não Previstos

VII.1. Os casos não previstos nestas diretrizes serão analisados pela Comissão Coordenadora do Curso de Engenharia Elétrica – CoC-EE.